sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A cereja do bolo ou como bloquear um xale

Uma peça de tricô rendado só ganha "vida" depois que é bloqueada na sua forma final pelo processo de bloqueamento. É uma etapa fundamental de acabamento que faz a renda aparecer, nivela a tensão entre os pontos da peça e dá caimento. Na realidade, toda peça de tricô, independente de ser rendada ou não, se beneficia desse acabamento.

Existem várias maneiras de bloquear uma peça de tricô, mas nesse tutorial falarei apenas de duas: bloqueamento molhado (por imersão e por borrifador) e bloqueamento à vapor. A composição do fio utilizado para tricotar a peça determina qual dos métodos utilizar.

Xale Aeolian

Composição do fio
Um fio pode ser composto de fibras artificiais ou naturais. As fibras artificiais incluem aqueles fios de acrílico, poliester, nylon, viscose, microfibra e similares. Suas fibras têxteis não são encontradas na natureza. Já as fibras naturais podem ser de origem animal (lã de ovelha merino, lã de ovelha corriedale, fio de alpaca, fio de coelho angorá, etc.) ou vegetal (fios de algodão, linho, cânhamo, etc). Você encontra essa informação no rótulo do novelo.

Leitura recomendada:
As Tramas de Milady - De onde vêm os fios
As Tramas de Milady - De onde vêm os fios? Continuando de onde parei...
As Tramas de Milady - Fibras sintéticas aliadas ou inimigas? Você decide!


Material necessário para bloquear seu xale

1. Superfície de bloqueamento: deve ser lisa e grande o suficiente para caber a peça de tricô. Algumas pessoas usam placas de EVA, outras usam tapete ou colchão cobertos com plástico e uma toalha por cima. Escolha uma superfície que possa receber inúmeros furos de alfinetes.

2. Fita métrica: ao bloquear xales triangulares, meça as laterais de cada lado da espinha dorsal para ambas fiquem com o mesmo comprimento.

3. Toalhas: são usadas para retirar o excesso de água da peça e também para cobrir a superfície de bloqueamento, ajudando na absorção da umidade, que faz com que a peça seque mais rápido.

4. Alfinetes: Serão usados para prender o xale na forma desejada. Quanto mais alfinetes forem usados, mais reta e contínua ficará a borda superior do xale. Veja nessa postagem a quantidade de alfinetes que foram utilizados por Eunny Jang para dar forma ao xale: See Eunny Knit! - How to be happy. Repare nas fotografias iniciais que o xale estava todo amassado e depois você o vê liso e perfeito.

5. Bacia com água: para o bloqueamento molhado por submersão. Algumas pessoas gostam de colocar um pouquinho de sabão líquido neutro.

6. Borrifador: com água pura para o bloqueamento molhado borrifando

7. Ferro a vapor: se o método escolhido for bloqueamento à vapor

Xale Bitterroot Palha

Bloqueamento molhado por imersão
É indicado para fios naturais de lã, algodão, etc. Cuidado ao manipular o fio de lã animal molhado pois umidade e agitação podem feltrar a lã natural que é um processo irreversível.

1. Molhe toda a peça numa uma bacia com água e um pouquinho de sabão neutro. Se usou lã animal NÃO esfregue a peça, manipule-a com cuidado.

2. Retire todo o excesso de água apertando-a delicadamente com as mãos por toda sua extensão. Depois enrole a peça numa toalha limpa, fazendo um sanduíche com a toalha, coloque no chão e pise delicadamente para que a toalha absorva ainda mais água. Nessa postagem, Stephanie Pearl-McPhee mostra como bloqueou um xale de seda em um quarto de hotel, usando a pia do banheiro como bacia e a cama como superfície de bloqueamento: Yarn Harlot - A Blocking Story.

3. Estenda a peça na superfície de bloqueamento alisando delicadamente e prenda com alfinetes para dar a forma desejada ao xale.

4. Espere secar completamente antes de remover os alfinetes.

5. Sempre que lavar seu xale será necessário bloqueá-lo novamente.

Bloqueamento molhado com borrifador
Indicado para fio de algodão, linho e também para fios muito delicados como fio de angorá e mohair. É conhecido como bloqueamento leve.

1. Estenda a peça na superfície de bloqueamento e prenda com alfinetes para dar a forma desejada ao xale.

2. Usando um borrifador com água pura, borrife água por toda a peça até que cada área fique úmida mas não encharcada.

3. Espere secar completamente antes de remover os alfinetes.

Observação: em relação às fibras naturais, Eunny Jang sempre usa o bloqueamento molhado por imersão, não importa o tipo de fibra, desde as mais delicadas às mais resistentes. Ela diz que prefere molhar completamente para limpar o tecido, que ficou muito tempo em contato com as mãos. Seu método foi descrito na postagem See Eunny Knit! Block me, Amadeus.

Bloqueamento a vapor
Indicado para fios artificiais, como o acrílico, que não se moldam quando submetidos ao bloqueamento molhado. Devido à sua estrutura, os fios artificiais alteram sua forma apenas quando submetidos ao calor. Também é indicado para algodão e linho.

1. Disponha a peça na superfície de bloqueamento, alisando com a mão e esticando enquanto prende com alfinetes na borda da peça. Uma peça de fio acrílico depois de bloqueada nunca mais retornará à sua forma original então essa etapa deve ser feita com carinho.

2. Ajuste o ferro a vapor para a temperatura de vapor mais baixa. Vaporize a trama da peça segurando o ferro a vapor numa altura de 5 centímetros ou mais. Vaporize com paciência. Importante: NUNCA encoste o ferro na peça, se for fio artificial ele simplesmente derreterá. Quando a peça ficar umedecida pelo vapor, pare. Se vaporizar demais um fio de acrílico você o matará.

3. Pouco vapor quente não é suficiente para matar o acrílico. Matar o acrílico significa aquecê-lo até o ponto em que o fio muda sua estrutura e perde sua elasticidade. O acrílico morto fica com outra textura, sedosa e com mais caimento. Algumas pessoas apreciam essa textura sedosa e matam o acrílico de propósito, acham que "a morte lhe cai bem". Para matar o acrílico, aplique um pouco mais de vapor. Se precisar pressionar o ferro um pouquinho, proteja a peça tricotada cobrindo-a com uma toalha para não encostar na peça.

4. Deixe a peça secar completamente com os alfinetes.

5. Remova os alfinetes depois que a peça estiver completamente seca.

Não tem ferro a vapor? Se tiver secador de cabelos você poderá molhar a peça, retirar o excesso de água, alfinetá-lo na superfície de bloqueamento e usar o secador de cabelos para secá-la.
Se achar prudente, tricote duas amostras e bloqueie cada uma delas usando um método diferente. Com isso você se familiariza com os dois processos e com o resultado que cada um deles oferece para determinado fio. Bloqueie a primeira amostra sem matar o acrílico e a outra matando o acrílico. Espere secar, retire os alfinetes e sinta qual textura e caimento agrada mais.

Veja fotografias do tipo "antes e depois" do bloqueamento de uma peça de fio acrílico na postagem You can block acrylic, you should block acrylic

sábado, 21 de janeiro de 2012

Xale Haruni - Montagem Provisória

CHEGOU A HORA!!!

Agora, não tem como mas fugir!!!
O grande dia chegou, vamos começar nossa aventura em tecer esse xale maravilhoso, Haruni.
Me lembro da primeira vez que vi esse xale, fiquei encantada, e sei que você também.
Agora assista os vídeos, quantas vezes achar necessário. Anote suas duvidas e vamos nos divertir!!!
Não desista, teremos momentos difíceis, mas garanto que no final valerá a pena!! Você se orgulhara da sua obra de arte...
Grande beijo






quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Fio de Segurança

Essa técnica é muito utilizada para evitar acidentes durante a execução de um trabalho de tricô, em particular os rendados, tanto que além do nome de Fio de Segurança podemos encontrar como Fio Guia, Fio da Vida e outros.

Conforme a Valéria disse anteriormente o Fio de Segurança serve para...  dar segurança em continuar a receita sem medo de achar um erro e ter que desmanchar tudo.

De tempos em tempos verifique se não tem erro e posicione o Fio de Segurança, assim pode-se desmanchar sem correr o risco de perder nenhum ponto.


Estamos colocando mais um vídeo para reforçar esta etapa do preparo para começarmos a tecer o Haruni, afinal agora só faltam dois dias.



  
Bom Tricô!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Adoro isso!

Pessoal, hoje vamos tirar as dúvidas sobre os marcadores de pontos, confesso que sou viciada em marcadores.

Eles permitem que se pratique as repeticões de uma seguência de pontos necessárias para formar um desenho sem correr o risco de se perder. Em trabalho com laçadas e diminuições como este projeto, eles são muito importantes.
Existem inúmeros modelos de marcadores, todos tem a mesma função mas podem variar de acordo com o gosto do freguês.




Além destes, lá no Facebook  já apareceram outras fotos e até PAPs ensinando a fazer marcadores, então, tá valendo tudo, não é por falta de marcador que vamos deixar de fazer o projeto.
O importante é entender a colocação.
Ao iniciar o desenho coloque o marcador, siga fazendo os pontos correspondentes, antes de iniciar nova repetição coloque outro marcador e assim por diante.
Na foto abaixo podemos ver os marcadores colocados entre a repetições do xale Haruni.


Tricote a carreira normalmente e, quando chegar no marcador transfira para a agulha da direita e continue tricotando normalmente até chegar o próximo marcador, proceda da mesma maneira.


Como sempre digo, cada um tem o seu jeito de tricotar, eu gosto de usar marcadores diferentes indicando o fim dos pontos de borda e antes e depois do ponto central, como mostram as fotos.
Nestas fotos, os marcadores azuis estão separando os pontos de borda do “corpo” do trabalho e o ponto central do xale.






No caso do Haruni ao final da útima repetição do Gráfico A, usei 20 marcadores vermelhos e 4 azuis, isto é, 12 de cada lado do xale.
Chegando ao fim do trabalho  se estiver na hora de arrematar, ao chegar no marcador simplesmente tire-o da agulha e continue arrematando normalmente.

Por fim quero ressaltar que aqui foi abordada a utilização dos marcadores especificamente para a confecção do xale mas, eles têm várias outras utilidades dependendo do que estamos tecendo.

Agora faltam só quatro dias, bom trico! 

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Seguindo sem medo


Uma das maiores preocupações de quem tricota uma receita longa, como um xale por exemplo, é poder retomar o trabalho no dia seguinte sem correr o risco de esquecer onde parou e seguir de forma errada.
Existem muitas formas de se evitar esse problema e cada um tem o seu jeito mas, a seguir vamos mostrar algumas sugestões que podem ajudar aqueles que ainda têm alguma dificuldade com isso.

1. Faça uma tabelinha com o número total de carreiras da receita e a medida que for tricotando vá riscando o número correspondente a carreira. Note que é uma tabelinha simples, não precisa mais que isso.
2. Outra maneira de seguir a receita é através de uma placa e um marcador. 
Essa placa pode ser dos mais diversos materiais: metal, plástico, acrílico, enfim, o que você tiver, o importante é acomodar a receita para uma boa visualização.
 

Existem várias à venda no mercado mas, podemos improvisar e fazer em casa uma com a nossa cara, veja abaixo algumas sugestões.

Ela pode ser de metal e ficar assim mesmo ou pode ser encapada com material auto adesivo, com imagens a seu gosto
 








Podemos usar pedaços de imãs  ou mesmo uma régua pequena para segurar a folha de receita, vale ainda colocar imã na régua.

 


3 Outro modo de não se perder na seguencia da receita é usar contadores de carreira.
Nas fotos podemos ver dois tipos mas existem vários outros modelos no mercado. O importante é lembrar de marcar o número da carreira que será tricotada antes de iniciar.





Este não é específico para  trico mas consegue muito bem cumprir a função
 


Este contador é o mais fácil de achar por aqui, notem que ele fica encaixado no cabo da agulha facilitando seu manuseio.





Bem, são sugestões que ainda dá tempo de providenciar antes de começar seu trabalho, mas se você souber de outras formas, fique à vontade para usar só não esqueça de compartilhar com a gente, afinal os objetivos do TCG Haruni é proporcionar antes de mais nada muita diversão, lazer e aprendizado nessa arte tão bonita que é o tricô.

 Bom trico

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O MATE DUPLO CENTRAL: 2P-1M-2P ou MDC

Olá, turma!
Este é meu último artigo, aqui termina minha parte nos preparativos. A partir de agora, seguirei com vocês como participante do tricô coletivo.

Agradeço a oportunidade de aprendizado tão legal que nos dão as orientadoras de projeto e agradeço também a companhia e o entusiasmo de vocês.

Muito obrigada por tudo!
Lilika.




Faremos uma abordagem sobre o MDC:

O mate duplo central é uma diminuição de pontos sem que haja inclinação (como ocorre com o SSK e 2 pontos juntos).

Na receita escrita em inglês, ele é representado pela expressão "sl2K1psso", que significa passe 2 pontos, faça um ponto meia e passe os 2 pontos sobre o ponto meia".

Na receita traduzida pela Valeria Garcia, em seu blog Tricô em Prosa, encontramos o mate duplo central na expressão "2P-1M-2P".

Muitas tricoteiras conhecem este ponto como "MDC", mas não importa a terminologia utilizada para ele. O importante é você saber que tanto "sl2K1psso", "2P-1M-2P" como "MDC" se referem a um mesmo ponto. Escolha aquela que lhe for mais confortável e siga a receita.

A nomenclatura utlizada nos futuros vídeos do TCG - Haruni será "MDC".


Passo a passo do mate duplo central:

Fio atrás das agulhas

Passe os dois primeiros pontos da agulha esquerda para a agulha direita com se fossem pontos meia (sem tricotá-los)

Tricote o terceiro ponto = ponto meia

Com a agulha esquerda, pegue aqueles dois pontos e passe-os sobre o ponto meia

O mate duplo central está pronto.

Puxe a agulha esquerda para soltar os 2 pontos.


Vídeo preparado pela Keila Carvalho e pela Luiza Botta:


Inclinação à esquerda: SSK e 2JMT

Olá!

Falaremos hoje da inclinação à esquerda, bastante utilizada na receita do Haruni.

A receita original e a tradução da Valeria Garcia mencionam o SSK - "slip, slip, tricote em meia".

Assim, toda vez em que você se deparar com o SSK, saberá que precisa fazer uma inclinação à esquerda (a maneira de tricotar o ponto o deixará inclinado para a esquerda).

Conversando com a Keila Carvalho e com a Luiza Botta, fui apresentada a uma técnica de inclinação à esquerda denominada de 'dois pontos juntos em meia torcido'. Fiquei muito entusiasmada com o "2JMT", pois é possível obter a desejada inclinação à esquerda diminuindo 3 passos.

Os vídeos do TCG - Haruni mostrarão o "2JMT" nas passagens do SSK, pois é um método de tricotar muito mais fácil e acessível para nossas amigas iniciantes.

A terminologia SSK permanecerá tanto na receita original como na tradução da receita em português, pois é mais usual.

Combinamos, então, que você escolherá dentre o SSK ou 2JMT para fazer sua inclinação à esquerda.

Fica combinado, também, que se você optar pela facilidade de tricotar o 2JMT, vai fazê-lo toda vez em que se deparar com o SSK na receita.

A seguir, farei o passo a passo (PAP) do SSK e do 2JMT.


Passo a passo do "2JMT" - dois pontos juntos em meia torcido


Fio atrás das agulhas

Passe a agulha direita por trás dos dois pontos (simultaneamente) da agulha esquerda.

Puxe o fio e faça um ponto...

... ponto executado, derrube os dois pontos da agulha esquerda

Está pronto o seu 2JMT (dois pontos juntos em meia torcido)

Pontos com inclinação à esquerda, indicada pela guia laranja.

Veja o vídeo especialmente elaborado pela Keila Carvalho e pal Luiza Botta:







Passo a passo do SSK - "slip, slip (passe os pontos sem tricotar) , tricote em meia"



Fio atrás das agulhas, passe o primeiro e o segundo ponto da agulha esquerda para a agulha direita como se fossem meia... apenas passe os pontos, sem tricotá-los...

...apenas passe os pontos, sem tricotá-los...

Repasse os dois pontos para a agulha esquerda.

Passe a agulha direita por trás dos dois pontos (simultaneamente) da agulha esquerda. Tricote os dois pontos dessa maneira, com a agulha direita pegando os pontos pela parte de trás.

Está feito o seu SSK. Agora, é só derrubar os dois pontos da agulha esquerda.



Coloquei o fio verde ao lado do SSK para destacar a inclinação à esquerda:

 
O vídeo é da Regina Rogers e a explicação são excelentes:


 Se não conseguiu ver direito, abaixo tem um vídeo em inglês. Ao final, destaque para o acabamento na peça com SSK:

A RECEITA DO HARUNI


A receita do Xale Haruni com tradução  realizada pela Valeria Garcia, em seu blog Tricô em Prosa, está neste link aqui: http://tricoemprosa.com/traducao/xale-haruni/

Recado da Valeria, lá no Facebook: "Se você imprimiu a tradução da receita do xale Haruni antes do dia 11/janeiro/2011 então leia sobre a errata em http://tricoemprosa.com/2012/01/11/revisao-xale-hauni"



No Ravelry, onde a receita original da Emily Ross está disponível,  há links para a receita traduzida para outras línguas.

Como sei que nosso  tricô coletivo não tem fronteiras (que felicidade!!!), transcrevi os links para este blog.

Traduction française modèles gratuits

Beaucoup grâce à Christine73 pour la traduction!

Deutsch-Übersetzung jetzt verfügbar, Dank an Allerleisocken

Stort tack till brittg för den svenska översättningen som du hittar här.

Muchas gracias a Luisilla para traducir al español este patrón.


É muito importante que você leia e entenda a receita. Ótimas tricotadas!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Desesperar? Jamais!


Falta pouco mais de uma semana para o início do TCG, no qual tricotaremos o belíssimo xale Haruni juntos. Da última vez que chequei os números, eram mais de noventa pessoas inscritas, unidas unicamente pela vontade de passar umas boas horas tricotando esse xale. Imagino que dentre os inscritos encontraremos desde aqueles que já tricotaram vários xales rendados e até mesmo quem nunca tricotou um xale na vida mas se julga pronto para dar esse passo adiante!

Quando digo passo adiante pode até parecer que tricotar renda é algo difícil. Veremos... Do que é composto um ponto rendado? Ele é composto de pontos meia, pontos tricô, laçadas e diminuições, que são executados numa determinada sequência. Ou seja, qualquer pessoa que saiba tricotar consegue tricotar os pontos que formam a renda, se seguir a sequência de pontos corretamente. Não é difícil, mas podemos dizer que certamente requer um pouco mais de atenção.

Como qualquer atividade, existem algumas "boas práticas" que acabam simplificando o ato de tricotar renda. São dicas conhecidas há tempo, fruto de quem aprendeu pelos próprios erros. Elas vão nos ajudar a preservar a sanidade mental e evitar lágrimas desnecessárias.

Temos uma semana para nos preparar para o início de um belo xale. Vamos lá?

Número 1 - Leia a receita
O primeiro passo para o sucesso é ler a receita. Essa dica já foi falada, escrita e aconselhada incontáveis
vezes, mas ainda assim ela é subestimada. Talvez levados pela euforia de montar os pontos de uma nova
peça, muitos de nós simplesmente pulam essa etapa tão importante. Não faça isso!

Imprima a receita, vá para o seu cantinho favorito e leia a receita do início ao fim. Agora que você foi apresentado a ela, é hora de dialogar. Releia a receita com calma, no mínimo umas cinco vezes para se familiarizar com seus termos e com suas instruções. Pesquise alguma técnica que não saiba, que seja novidade. Faça seu dever de casa. Eu leio uma receita umas dez vezes, até que eu me veja realizando cada instrução. Dá uma segurança enorme.



Número 2 - Prepare os gráficos
Podemos tricotar o xale Haruni seguindo seus gráficos ou, se preferir, seguindo as instruções escritas desses gráficos. Se for tricotar consultando os gráficos então sugiro que leia essa postagem ótima da Nina Paula


Número 3 - Conte as carreiras
Para contar as carreiras você pode usar a dupla papel e lápis ou então usar algum acessório contador de carreiras. O importante é registrar as carreiras que foram trabalhadas. Se tiver de deixar seu projeto de lado durante um tempo será fácil (e indolor) retomá-lo mais tarde pois você saberá exatamente onde parou. 


Número 4 - Use marcadores de pontos
Se não tiver anéis marcadores de pontos, improvise-os com com clipes ou com pedaços de fios, mas em hipótese alguma fique sem marcadores de pontos ao tricotar renda. 

Como usar:
1. Distribua os marcadores de pontos ao longo da carreira, para ajudar na checagem dos pontos. Quando eu tricoto um xale eu coloco marcadores para demarcar a barra do xale, que são os três pontos em cordões de tricô em cada extremidade. Depois, no corpo do xale, uso vários marcadores para delimitar cada repetição do ponto. Também coloco um marcador em cada lado do ponto central. Em geral, o gráfico me dá a pista de onde colocar os pontos de checagem de uma carreira. Se você leu a receita (e releu) vai entender o que eu estou falando.

Veja esse video que mostra como usar marcadores de pontos


Número 5 - Sempre conte os pontos entre os marcadores
Uma vez que distribuiu seus marcadores de pontos nos lugares estratégicos, faça uso deles: conte os pontos! Adquira o hábito de contar os pontos entre os marcadores para evitar surpresas.

Eu adorei essa fotografia da Rosário Albuquerque: veja os anéis marcadores de pontos distribuidos pela agulha, eles foram feitos com fios amarelos. Já a linha que percorre o trabalho, chamada de fio de segurança, é o assunto do próximo tópico.

lace knitting


Número 6 - Use fio de segurança
Periodicamente, devemos checar a peça a procura de algum erro que passou despercebido. Se não encontramos nenhum problema nas últimas carreiras e antes de prosseguir, é prudente passar um fio de segurança por todos os pontos da última carreira trabalhada.

Continue a tricotar o próximo conjunto de carreiras do ponto rendado. Na próxima vez que realizar a checagem, se você constatar que é necessário desmanchar, será muito mais fácil e rápido fazê-lo com a presença do fio de segurança. Ele é usado como precaução porque desmanchar um trabalho rendado pode ser algo complicado devido à quantidade de laçadas, aumentos e diminuições que uma única carreira pode conter.

Como colocar o fio
1. Use um fio fino e macio em uma cor que contraste com a cor da peça. Muitas pessoas preferem usar fio dental porque não se embaraça com fios peludos e sai facilmente. 

2. Atenção ao comprimento do fio de segurança que deve ser maior que o da peça de tricô.

3. Com a ajuda de agulha de tapeçaria (agulha sem ponta) passe o fio pelos pontos do trabalho da última carreira trabalhada. Lembre-se de NÃO PASSAR o fio de segurança pelos marcadores de pontos!

Se o pior acontecer, veja como desmanchar
1. Remova a agulha circular do seu trabalho e insira-a através dos pontos segurados pelo fio de segurança. Se tiver dificuldade, use outra agulha circular de espessura menor.

2. Não remova o fio de segurança, ele continuará marcando a última carreira correta.

3. Desmanche o trabalho até a carreira onde se encontra a agulha. Se usou uma agulha de espessura menor para passar pelos pontos do fio, continue o trabalho com a agulha de número correto.


Veja o vídeo sobre como usar o fio de segurança

Se você tem alguma dica legal que deseja compartilhar conosco, basta deixar um comentário com ela!

Feliz tricô!

AMOSTRAS

Olá!

Seguem as prometidas amostras (sem blocagem finalizada) com os fios gentimente oferecidos pela Coats Corrente Brasil para incrementarmos os preparativos do nosso TCG - Haruni.

Para as amostras, iniciamos o Xale Haruni e fizemos as primeiras carreiras, conforme receita da Emily Ross.

Fio único, agulha 4.0mm

Amostra menor: Fio único, agulha 4.0mm. Amostra maior: fio duplo, agulha 5.5mm


Fio duplo e agulha 5.0mm

Fio duplo e agulha 4.0mm


Fio único, agulha 2.5mm


Esterlina 5 + Esterlina 8, agulha 4.0mm


Camila Fashion, fio duplo, agulha 5.0mm


Super Bebê, fio único, agulha  4.0mm

Super Bebê, fio duplo, agulha  5.5mm


Esterlina 8 tricotadas em dois fios com agulhas 3,5.

Esterlina 8 tricotadas em dois fios com agulhas 3,5.

Esterlina 5 tricotadas em dois fios com agulhas 4,5mm

Esterlina 5 tricotadas em dois fios com agulhas 4,5mm

Esterlina 8 tricotado em 1 fio com agulha 2,0mm

Esterlina 8 tricotado em 1 fio com agulha 2,0mm
Camila Fashion, fio único, agulha 4.5 mm